OCA VIRTUAL

A Organização Cultural Anarquista (OCA) apresenta OCA VIRTUAL seu novo espaço de debate, informação, contestação, enfim uma zona livre para todos aqueles que acham que algo esta errado nesse mundo. Aqui é o lugar de artistas, operários, marxistas, anarquistas, humanistas, trapezistas e donas de casas. Aqui só não é bem vindo fundamentalistas, capitalistas fundamentalistas...........

Barra de Vídeo

Loading...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

SICKO: Onde a saúde é mais uma mercadoria



Michael Moore, o polemico documentarista norte americano, de Tiros em Columbine e Fahrenheit 11/9, está de volta com Sicko um contundente retrato do caos em que se encontra o sistema de saúde americano. Os direitos de exibição de Sicko foram comprados pela Europa Filmes que deve lançá-lo até o final de fevereiro nas telas brasileiras. Provavelmente o documentário fique pouquíssimo tempo em cartaz, pois, é um filme que não interessa as grandes redes de cinema tanto no aspecto político como econômico.

Michael Moore uma trajetória polemica

Michael Moore adquiriu popularidade mundial ao ganhar o Oscar de melhor documentário por Tiros em Columbine. O filme é um duro golpe a indústria de armas americana e as falsas ideologias que essas criam para justificar seus lucros com as guerras. O trivial seria Moore dedicar a sua estatueta a família, amigos e à academia, porém, ele não fez isso. Aproveitou os olhos do mundo para criticar o governo Bush e a guerra no Iraque.

Aproveitando a popularidade, Moore, lançou em seguida Fahrenheit 11/9 uma investigação a cerca dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, e a responsabilidade do governo americano em tudo isso, as ligações da família Bush e Bin Laden e a guerra no Iraque. Fahrenheit 11/9 foi o documentário mais assistido na história do cinema, com 25 milhões de expectadores, provando o forte sentimento anteguerra e anteimperialismo em todo o mundo.

EUA onde a saúde é mais uma mercadoria

Sicko nos apresenta uma denúncia, que todo mundo sabe, mas que nem por isso deixa de ser chocante. Os Estados Unidos país mais rico de todo planeta tem um sistema de saúde pública que é um verdadeiro lixo, comparado, aliás, a paises subdesenvolvidos, ocupando apenas a posição 72˚ ,segundo, pesquisa da OMS.Até a pequena ilha de Cuba, antigo estado operário, assolado pela pobreza e vítima de inúmeros embargos econômicos americanos está na frente quando a questão é saúde pública.A verdade é que o governo e a burguesia americana fizeram com a saúde de seu país o mesmo que promovem com os sistemas de saúde públicos de todos os países do mundo: corte de verba, precariedade e logo em seguida verdadeiras privatizações, abrindo caminho para as empresas de seguro de saúde.

Nos Estados Unidos são mais de 46 milhões de trabalhadores sem recursos para pagar um seguro de vida e que têm como única opção uma saúde pública que cobre pouquíssimos tratamentos médicos, um sistema médico e hospitalar jogado as moscas. O filme mostra bem essa realidade, ao exibir a filmagem caseira de um homem costurando um corte na própria perna, pois, o estado não faria tal procedimento clínico, e esse não tinha dinheiro para pagar um seguro de saúde. Porém, sem dúvida, o caso mais esdrúxulo é de um trabalhador que perdeu dois dedos de uma mão em um acidente com uma cerra, e como não tinha Seguro de saúde foi obrigado a escolher qual dos dois dedos ia restaurar, pois o sistema de saúde supostamente público cobriria apenas um.Essas duas tristes histórias e muitas outras que são apresentadas nas quase duas horas de Sicko evidenciam que nos Estados Unidos e em todo o mundo a saúde não passa de uma mercadoria.

O filme tem muitas outras histórias trágicas, e desvenda que nos EUA ter um seguro saúde, não é certeza de tratamento, porque as empresas não estão preocupadas em tratar e sim em lucrar. Pois estão, para lucrar cada vez mais não importa quantos trabalhadores e trabalhadoras terão que morrer para isso.

Os equívocos de Moore

Um dos graves erros de Moore é seu horizonte estreito ao pontuar excessivamente em seus filmes somente a realidade americana, ainda que sobre a ótica dos explorados. Não vai mais fundo, fazendo apenas uma reportagem das aparências, e não da essência da exploração, o sistema capitalista. Afinal não se pode esquecer que por mais sarcástico e aparentemente radical, ele continua sendo um democrata, um nacionalista, e justamente por isso não pode ir contra o capitalismo, se retendo a denuncia dos efeitos do capitalismo e não do próprio sistema.

O pior de Sicko é sem dúvida suas comparações por vezes grosseiras e idealistas do serviço de saúde dito Público americano com os serviços de saúde de países como Canadá, França e Inglaterra. Primeiro, por que ignora as diferenças entre cada um dos países, o número de habitantes, a situação econômica, a luta de classe em cada país. Segundo, porque ignora a própria realidade de lutas na França contra a reforma da previdência, que resultou em dias de greve geral e a realidade inglesa onde os trabalhadores foram duramente atacados em seus direitos pelo governo trabalhista.

Mas o cineasta tem momentos de puro sarcasmo e genialidade, como quando leva até Cuba bombeiros, para-médicos, heróis do 11 de setembro, que desenvolveram doenças em decorrência dos trabalhos nos escombros do WTC, e viram o governo americano lhes negar ajuda médica. Outro momento muito interessante do filme, e quando Moore, através de uma montagem, insere sob as imagens de uma seção do congresso americano, Bush também estava lá, balões sobre a cabeça de todos. Nesses balões aparecem valores que teriam sido pagos pela indústria farmacêutica e as empresas de seguro saúde para que todos os políticos congressistas e o presidente servissem aos seus interesses. Hillary, pré-candidata à presidência pelos democratas, está lá e é uma das mais bem pagas. Por que será.......

a uva elétrica


Aqui do lado Pederneiras!
Essas mais de mesa

oia o choque

bummmmmmmmmmmm

sábado, 9 de fevereiro de 2008

triste 2

a dor de cabeça é uma das piores dores, faz agente pensar besteira e se sentir triste por que a dor nem ao menos permite que as realizemos.

triste 1

as pessoas costumam postar suas vidas em seus sites, eu acho isso uma grande merda. mas já que estou aqui me sentido mal, com o nariz correndo,dor de cabeça, frio no corpo e não consigo dormir resolvi dividir essas bostas com vocês

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Tinha que ser o Chaves de novo !

Então SR. Sapato não quer que eu conserte sua barriga?

"Afaste-se !
Afaste-se mais!!!
Mais...
MAIS!!!!!!!"


Sujeito estranho...



ditongo

Microsoft quer comprar o Yahoo por 44 bilhões de dólares!


A empresa multinacional do ramo de software Microsoft quer comprar o portal de buscas Yahoo pela bagatela de nada menos que 44 bilhões de dólares, aproximadamente 78 bilhões de reais. Essa oferta corresponde a uma valorização de 62% em relação a cotação atual das ações do Yahoo nas bolsas de valores.

Em um mundo cada vez mais monopolizado, em que não se distingue com clareza o capital industrial do capital chamado financeiro, o que impera é a lei da caça e do caçador. Ou as empresas crescem, vêem suas ações subiram nas bolsas, aumentam faturamentos, compram concorrentes e investem em novos ramos industriais e comerciais, ou estão fadadas ao caminho inverso.

Com as empresas dos ramos de tecnologia, principalmente ligado a informática, não poderia ser diferente.A Microsoft precisa comprar o Yahoo,para poder competir com o Google no mercado crescente de busca e anúncios na Internet. Empresa essa que segundo recente pesquisa responde por mais da metade das buscas feitas a Internet. O Google não fica atrás quando o quesito e aumentar seu domínio de mercado, tendo adquirido o badalado site de hospedagem de vídeos Youtube.

Até o Yahoo, bola da vez da Microsoft, adquiriu o Cadê a alguns anos, então maior site de buscas da Internet brasileira. A notícia parece ter mexido com o Google, que acusa a Microsoft de tentar criar um monopólio, afirmando que irá apelar aos conselhos financeiros caso a negociação de fato ocorra.

Porém o próprio Google já tem um comportamento puramente monopolista, vem,contudo, agora com suas farpas para não ser abocanhado por outro grande Leão do mercado tecnológico a Microsoft, em seu filão mais rentável as pesquisas e plataformas de anúncio na Internet.

SALT COVER - canal 3

Com Quantas Letras se Escreve Natal ???

N de navio, A de avião, T de trem que ao menos eu vi, A de alegria, L de ladrão... que foi eu que elegi ! ! !


A melhor parte é "voltaremos após os COMMERCIAES" isso é da época de mil novecentos e guaraná de rolha!!!

OBIRIGADO POR SINTONIZAR A TELEVISÃO SALT COVER !
TELEVISÃO SALLLLLT COVER CANAL TÊRÊSSSSS


BOA NOITE

ditongo

Filme e Segredo

A algum tempo atrás estreou um filme que chamava: "A Lenda do Tesouro Perdido", e recentemente saiu o 2, cujo "Sub-Nome" é: "O Livro dos Segredos". Eu ja assisti o filme, mas para quem não viu vai ai um trailer:



Agora que já viram que o livro é do presidente, já pensou que aquela mula do Bush tem o direito de ler o livro? Tanta pessoa melhor pra ler e aquela coisa que lê? Decerto nem quiz ler, porque não tinha capacidade de entender a grandiosidade da coisa... menos mal, ele nao merece colocar as mãos naquilo... quem será o próximo a lê-lo?

Treco

domingo, 3 de fevereiro de 2008

ALF, o eteimoso

Só para relembrar aquelas séries antigas ! ! !


Esse é um dos melhores episódios do ALF, o eteimoso.

Ele entrando em transe... Sem comentários !!!!!!!!!!!!

VEJA !



Tá limpoooooo!

ditongo.

as vidas

as pipas
e os papelotes

o padre
e Don Quixote

o pesadelo desgastado pelo tempo,
A alma que voa em um arroubo juvenil
mesmo o corpo já sendo senil

o transbordar de mesquinharias,
bons livros de poesias

a morte anunciada,
um palhaço e sua risada.

por isso morremos
por isso vivemos
se vencemos
não sei.

mais um poema panfleto provocativo de Tulipano do Laranjal